7 erros mais comuns cometidos em projetos lumintécnicos

 

 

Os projetos luminotécnicos podem fazer grande diferença em uma empresa, uma vez que a iluminação de ambientes, quando bem empregada, influencia diretamente em fatores como redução de custos, aumento da produtividade e até mesmo garantia de bem-estar dos frequentadores do local.

Contudo, existem casos em que o planejamento da iluminação que será aplicada em cada espaço não é realizado da maneira adequada e, por essa razão, não se torna possível usufruir dos benefícios de um projeto luminotécnico.

Se você deseja conhecer mais sobre o tema e descobrir quais são os 7 erros mais comuns cometidos em projetos de iluminação e que devem ser evitados, continue a leitura deste post que vamos apresentar todos os detalhes. Veja!

1. Contratação de profissionais não especializados

No mercado é possível encontrar mão de obra não especializada em luminotécnica que realiza esse tipo de serviço, como eletricistas, pedreiros, instaladores ou gesseiros. Esses profissionais costumam ser muito bons na atividade que exercem, mas eles não são especializados em iluminação, por isso, estão sujeitos a cometerem erros com mais frequência.

Somente um profissional especializado no ramo luminotécnico conta com o conhecimento técnico que é necessário para realizar um projeto de iluminação adequado e que, de fato, atenda às necessidades do ambiente.

Dessa maneira, um dos principais erros cometidos é, justamente, não contar com o auxílio de um profissional especializado e, como consequência, o projeto não atende plenamente as suas necessidades.

2. Aquisição de dispositivos baratos e de baixa qualidade

Outro erro que também é cometido com frequência é a compra de dispositivos baratos e de baixa qualidade para a execução de um projeto luminotécnico. Nesse caso, não é eficaz contar com o planejamento ideal se o material utilizado não é o correto e não consegue atingir o objetivo principal de uma iluminação adequada.

O ideal é evitar produtos de segunda linha e não escolher itens levando em consideração apenas o seu preço, sem nenhum embasamento técnico, pois, em geral, esses dispositivos duram menos da metade do tempo que duraria um produto de construção fiel às normas de qualidade recomendadas — o que faz com que os gastos em médio e longo prazo sejam ainda mais elevados.

As luminárias LED, por exemplo, são produtos de qualidade que praticamente não exigem manutenção, contam com longa vida útil (o que faz com que a troca demore muito para ocorrer) e, ainda, gera economia dos custos com energia elétrica, sendo uma excelente opção para projetos luminotécnicos.

3. Não atendimento às Normas Regulamentadoras

As Normas Regulamentadoras existem justamente para que produtos de qualidade estejam disponíveis no mercado. Dessa maneira, um produto sem certificação não conta com os atributos que são necessários para garantir a segurança.

Além disso, determinados projetos exigem normas técnicas a serem inspecionadas quando da sua correta implementação e fiscalização para a incidência da luz artificial — como fábricas, hospitais, lojas, condomínios, vias públicas e escolas —, sendo uma das atribuições dos Profissionais em Luminotécnica verificar se elas estão sendo cumpridas.

4. Falta de iluminação adequada para o ambiente

Existem diversos métodos para a criação de projetos luminotécnicos para ambientes. Contudo, mais um erro comum é não observar o tipo de iluminação que é mais adequado para o local.

É o caso, por exemplo, da iluminação direta — que ilumina diretamente uma superfície ou objeto. Em geral, esse tipo de luz é capaz de manter uma pessoa mais acordada e pode ser usada para direcionar a atenção a um ponto específico e, consequentemente, aumentar a produtividade em atividades laborais.

Já a iluminação indireta, por sua vez, espalha a luz por todo o ambiente e torna o local mais agradável e confortável, sendo mais recomendada para um projeto luminotécnico comercial.

Dessa maneira, é fundamental observar o tipo de luz mais correto para cada ambiente específico, considerando, inclusive, a temperatura de cor, pois ela também é capaz de despertar sensações de concentração ou aconchego nos frequentadores do local.

5. Instalação de luminárias e refletores em altura inadequada

A altura de instalação de luminárias e refletores é muito importante, pois está diretamente relacionada ao aproveitamento da luz emitida e conforto visual. Assim, quando um item é instalado em uma elevação inadequada, ele é capaz de impactar de forma negativa nas tarefas que são realizadas no ambiente, seja ele residencial, comercial ou industrial.

Por essa razão, a altura de luminárias e refletores deve, obrigatoriamente, ser considerada em projetos luminotécnicos, sendo preciso que cada espaço seja avaliado de forma individual, considerando a relação entre a altura do pé direito e o uso previsto para o local.

6. Desconsideração da emissão de calor das lâmpadas

Apesar de desconsiderar a emissão de calor das lâmpadas ser um erro comum em projetos luminotécnicos, a boa notícia é que eles podem ser sanados facilmente. Contudo, ainda assim, o ideal é já considerar esse ponto no projeto inicial de modo a evitar problemas.

Assim, além da luz emitida, também é necessário observar a emissão de calor das lâmpadas — quanto menor a sua emissão, mais recomendada é a sua utilização. O calor excessivo, por sua vez, consome mais energia e é menos eficiente.

Por isso, lembre-se sempre de observar a emissão de calor de forma individual em lâmpadas que não são da mesma linha ou fabricante. O mais recomendado é a utilização de luminárias LED justamente porque elas apresentam uma emissão de calor praticamente nula, tornando o local de sua instalação mais funcional e econômico.

7. Planejamento sem customização

O projeto luminotécnico deve ser especialmente pensado para cada ambiente, considerando a utilização do local para que seja possível atender plenamente a todas as necessidades do cliente.

Realizar um projeto que não é customizado para cada ambiente não costuma ser eficaz, justamente porque não são todos os cômodos de um local que contam com as mesmas necessidades.

Agora que você já sabe quais são os 7 erros mais comuns cometidos em projetos luminotécnicos, deve ter percebido a importância de contratar uma empresa especializada em projetos de iluminação para evitar cometê-los, não é mesmo?! Além disso, ao contar com o auxílio do profissional correto, é possível economizar energia elétrica e reduzir os custos com troca de equipamentos e manutenção.

Se você gostou das dicas que apresentamos neste post, assine nossa newsletter e receba atualizações sobre nossos conteúdos diretamente em seu e-mail!