A influência térmica da lâmpada industrial LED nos ambientes!

 

A lâmpada industrial LED é imprescindível para os negócios que desejam alcançar uma maior produtividade e eficiência. Afinal, ela contribui para uma melhor climatização do ambiente, o conforto visual dos colaboradores, entre outros pontos importantes.

Neste post, vamos explicar melhor essas relações. Para começar, a iluminação é um importante fator para determinar a eficiência térmica de um ambiente. No senso comum, até mesmo pessoas leigas sabem que alguns modelos de lâmpada aquecem o ambiente. Isso ocorre porque parte da energia elétrica nas lâmpadas é dissipada na forma de calor.

Além disso, outro fator que induz a sensação térmica é a temperatura da cor da lâmpada. Apesar de isso não estar diretamente relacionado à temperatura medida no termômetro, os sentidos humanos são integrados. Então, a cor da luz emitida pela peça controla a interpretação que o nosso cérebro faz do ambiente. Quer entender melhor? Acompanhe!

Qual é a influência térmica das lâmpadas no ambiente?

Para compreender essa influência, é preciso saber como é a física por trás da geração da luz pela energia elétrica. O processo é o seguinte: quando uma corrente elétrica passa por determinados materiais, seus elétrons se chocam com as moléculas e os átomos dos materiais da lâmpada. Como resultado, há liberação de energia de diversas formas, como luz e calor.

Nesse sentido, toda e qualquer lâmpada vai emitir uma quantidade de calor em alguma intensidade. A grande diferença entre os diferentes modelos é que há materiais e tecnologias que permitem um maior aproveitamento da energia elétrica para gerar a iluminação em vez de irradiar calor.

Para avaliar isso, há algumas informações muito úteis na caixa da lâmpada:

  • a potência — é a quantidade de energia que a lâmpada gasta para fazer sua função (quanto maior a potência, mais energia elétrica será consumida em um intervalo de tempo);
  • lúmens — é a quantidade de luz emitida pelo equipamento (quanto maior ela for, melhor será a capacidade de iluminar o ambiente);
  • eficiência luminosa — é a quantidade de lúmens que cada watt de potência de uma lâmpada consegue emitir (quanto maior a eficiência luminosa, mais luz será gerada com menos consumo de energia elétrica).

De forma geral, a eficiência luminosa é inversamente proporcional ao aquecimento que a lâmpada gera no ambiente. Por quê? Os modelos mais eficientes perdem muita energia na forma de calor. Por isso, precisam de mais energia elétrica para gerar a mesma quantidade de luz de um modelo eficiente.

Quais são os diferentes tipos de lâmpada e sua relação com o calor?

A seguir, vamos explicar os principais modelos de lâmpada disponíveis no mercado brasileiro.

Lâmpadas incandescentes

São aquelas lâmpadas tradicionais, que têm um globo de vidro transparente com um fio metálico em seu interior. Quando a corrente elétrica passa, ela entra em atrito com os átomos do metal, liberando luz e calor. A temperatura desse fio chega a ser superior à da superfície solar.

É o modelo mais ineficiente de todos e, por esse motivo, foi reprovada em todos os testes de eficiência energética do INMETRO. Por causa dela, muitas pessoas associam a iluminação com o aquecimento do ambiente.

Lâmpadas fluorescentes

Essas lâmpadas funcionam de uma forma diferente, pois, em vez de um metal, há um gás em seu interior. Quando a corrente elétrica passa através dele, ocorre a emissão de luz. Como é cerca de 4 vezes mais eficiente que as lâmpadas incandescentes, a produção de calor é muito menor. No entanto, em seu bulbo, ocorre um aquecimento intenso.

Em escala residencial, isso é insignificante. No entanto, quando estamos falando de lâmpadas industriais, que demandam uma alta capacidade luminosa, esse aquecimento pode ser intenso. Isso prejudica o conforto dos seu colaboradores, a eficiência do seu sistema de ar-condicionado, entre tantos outros problemas.

Lâmpadas industriais LED

Por fim, temos as luminárias industriais LED, que são duas vezes mais eficientes que as fluorescentes e 8 vezes mais que as incandescentes. Seu grande diferencial é que a produção de energia ocorre pelo atrito gerado em pequenos circuitos elétricos dos mesmos materiais que são usados em equipamentos de alta tecnologia: os semicondutores.

Com um pequeno estímulo, os circuitos da lâmpada de LED conseguem liberar uma grande quantidade de luz. Consequentemente, há a produção mínima de calor. Quase toda a corrente elétrica é usada para alcançar a finalidade da lâmpada.

Quais são as vantagens da lâmpada de LED?

Há várias vantagens em se utilizar o LED. No caso das indústrias, vamos falar de duas principais.

Maior eficiência energética

Como explicamos, a lâmpada de LED é o modelo com a maior capacidade de transformar energia elétrica em luz. Com 1 watt de potência dela, conseguimos produzir a mesma quantidade de luz que 2 watts da fluorescentes e 8 watts da incandescente.

Ou seja, em relação ao consumo de energia, há uma economia significativa. Em escala industrial, geralmente é necessária uma iluminação muito forte para permitir a execução devida do trabalho. Então, são sistemas com mais de 20 lâmpadas de altíssima potência.

Por exemplo, os refletores industriais de LED utilizam uma potência de 30W a 250W. Os equivalentes das lâmpadas incandescentes seriam de 240W a 2000W, enquanto os das fluorescentes, de 60W a 500W. Desse modo, o custo de uma iluminação ineficiente chegaria à casa de centenas ou milhares de reais todos os meses.

Maior conforto luminoso

Além disso, as lâmpadas LED podem ser fabricadas para emitir várias temperaturas de cor. Já reparou que cada lâmpada emite uma luz de cor diferente, que pode ser muito branca ou amarelada. Isso não está relacionado à emissão de calor, mas à propriedade da luz que sai da lâmpada.

Quanto mais próximo do amarelo, diz-se que a temperatura da cor é mais quente. Por sua vez, o branco intenso ou azulado são conhecidos como tons mais frios. No entanto, ressaltamos que não há diferença significativa no aquecimento por causa da temperatura da cor. Como explicamos, esse ponto está relacionado, principalmente, à ineficiência energética.

Entretanto, o cérebro humano integra todos os sentidos para interpretar o ambiente. Assim, algumas pessoas podem ter a sensação subjetiva de que os tons mais quentes aquecem mais. As lâmpadas LED são versáteis nesse sentido, visto que podem ser fabricadas para emitir diversos tons de cor, do mais quente ao mais frio.

Escolher uma lâmpada industrial LED significa contar com um produto muito mais completo e eficiente. Além de reduzir os custos relacionados ao consumo energético da própria lâmpada, ela reduz a necessidade de uso de ar-condicionado. Afinal, será menos um equipamento emitindo altas quantidades de calor no ambiente.

Você sabia de todas essas informações? Sente-se mais preparado para escolher uma lâmpada? Comente aqui no nosso post!