O guia para extrair o melhor da automação industrial!

Você conhece a importância da automação industrial? Ela se baseia no emprego de tecnologia para a realização de atividades de controle de mecanismos e funções com a estratégia de melhorar todo o processo de produção de uma indústria.

Assim, a automação faz parte de setores como eletrônico, mecânico, tecnologia da informação (TI), entre outros. É responsável por ampliar a produtividade e aumentar a competitividade nessa área do mercado.

A indústria mundial vem passando por uma grande revolução — tão relevante quanto a que nos levou aos métodos atuais de produção. Assim, com o desenvolvimento tecnológico, máquinas e outros sistemas passaram a trabalhar em conjunto com as outras, fazendo com que os processos se tornassem mais otimizados e inteligentes.

Porém, é comum que apareçam algumas dúvidas sobre qual é o futuro do setor industrial e como acompanhar tais alterações. Por mais que exista um cenário semelhante de desenvolvimento em todo o planeta, é necessário estar atento à situação de cada país para compreender de que modo essas mudanças acontecerão em seu negócio.

A automação não se resume apenas à área industrial. Hoje, você encontra esses processos em residências, em que há uma conectividade de vários aparelhos e utensílios domésticos para otimizar a vida das pessoas.

Dessa forma, preparamos este guia para que você saiba como extrair o melhor que a automação industrial pode oferecer. Continue a leitura e confira!

Por que a automação industrial é uma necessidade?

A automação industrial se baseia, notadamente, nos meios existentes para tornar automáticos os procedimentos que um determinado serviço possa desenvolver. No tocante às atividades em escala industrial, seja qual for a área de operação em questão, existe a consequente e precisa inferência na substituição da mão de obra humana pela mecânica.

Melhor dizendo, no processo de automação industrial, é realizada uma adaptação de máquinas e de uma gama de outros modelos de dispositivos tecnológicos, que, por conseguinte, serão acompanhados e terão seus processos conduzidos por meio de determinadas programações variáveis e cabíveis conforme cada demanda. Tudo isso, de modo que permita um aumento da produtividade do trabalho desenvolvido pelo negócio.

É possível enunciar que a automação industrial se determina como uma reunião de tecnologias que são escolhidas, programadas e utilizadas em variados modelos de séries de produção. Dessa maneira, potencializam determinadas demandas.

Propósito da automação industrial

Esse aumento se relaciona com a qualidade dos serviços oferecidos, com a quantidade da produção e, em grande parte das vezes, também com uma notável diminuição dos custos da empresa, resultante da utilização da tecnologia da informação. Isso tende a resultar em um aumento do número de produção e de novas demandas, como também, assegura melhores índices de custo-benefício.

O principal propósito da automação industrial baseia-se na criação, desenvolvimento e emprego de mecanismos que tenham a competência de atender às necessidades existentes e garantir uma produção de alto nível de qualidade. Tudo isso, de modo que sejam capazes de expor todos os seus processos de forma rápida, eficiente e com o menor custo possível para a indústria.

Esse tipo de ação faz com que sejam feitas as mais diversas atividades, não só de modo simultâneo, mas também, de maneira ágil e coerente. Assim, visto que os processos de produção da indústria são largamente repetitivos e contínuos, a força de trabalho manual fica sujeita a uma grande margem de falhas.

Posto isso, os processos de automação industrial visam a prevenir tais possibilidades de problemas, de forma a garantir um movimento confiável e seguro de produção.

O que é preciso saber acerca da automação industrial?

O primeiro entendimento que se deve ter sobre a automação industrial, talvez, seja o mais importante: saber determinar os seus objetivos. Quanto mais minuciosas as metas forem (o que não significa falar que precisam ser de entendimento complexo), e quanto mais rapidamente forem especificadas, melhor para a indústria.

Os objetivos devem ser a primeira coisa a se observar em um projeto. Você deve determiná-los de modo detalhado, compreensível e transparente. Fornecedores e prestadores de serviços podem ser consultados a fim de obter informações, porém, devem ser escolhidos somente depois que suas metas estiverem definidas.

A segunda questão que se deve saber é quanto à motivação para promover a inserção da automação industrial na empresa. É ela que sustenta a determinação de metas e do processo decisório.

Essa motivação pode ser baseada na necessidade de reduzir custos trabalhistas, ampliar a eficácia energética, aumentar a precisão das mercarias produzidas, diminuir a quantidade de acidentes de trabalho etc. Tudo isso incide em decisões únicas e é interessante saber qual necessidade deu início ao projeto de automação industrial.

É difícil montar uma estratégia profissional e adequada sem utilizar todo o conhecimento e experiência de engenharia disponível para promover a automação industrial. Isso quer dizer que essa automação não deve ser realizada somente como uma otimização comum para a empresa.

Afinal, é necessário contratar empresas qualificadas, determinar tempo e esforço para executar e exigir de seus colaboradores e empresas parceiras um projeto de engenharia básico e executivo bem estruturado, especificado e adequado com a tecnologia atual. Essa é uma questão evidente, mas que, muitas vezes, não se consolida na prática.

A automação industrial precisa ser feita para simplificar o trabalho na indústria, para auxiliar os envolvidos a obter resultados positivos e com maior segurança. Muitas vezes, ao implantar uma automação ineficiente, sem treinar sua equipe e sem objetivos específicos, essa solução pode acabar não resultando em nenhuma vantagem prática.

Não adianta instalar equipamentos e máquinas da melhor qualidade encontrada no mercado, se elas não atenderem às suas metas e não auxiliarem os operadores durante suas jornadas de trabalho. A comunicação também é essencial em todo o processo operacional. Em um projeto de automação industrial, você deve determinar qual tipo de informação deve ser exibida e em que formato.

Quais são os pilares da automação industrial?

Já que a automação apresenta como objetivo disponibilizar cada vez mais autonomia às produções industriais, compreende-se que haverá muito menos intervenção humana nos processos. Por meio de ferramentas interligadas mediante sistemas, tudo isso proporciona maior segurança para quem atua na indústria e aumenta a agilidade de produção.

Veja, a seguir, alguns dos pilares da automação industrial que apresentam grandes vantagens para o setor industrial.

Inteligência artificial

A inteligência artificial não faz parte mais de um futuro que era distante e se tornou uma realidade nos dias de hoje para os negócios. Hoje, ela é amplamente utilizada em indústrias que atuam em grande escala, por exemplo, na área automobilística.

Por meio da tecnologia da Inteligência artificial, uma empresa é capaz de criar em grande quantidade e qualidade tendo reduzida interferência humana, sendo preciso apenas programar a função desejada e autorizar o maquinário a fazer o resto, tornando o sistema de produção bastante prático.

Big data e Data Analytics

São mecanismos inteligentes que têm a competência de organizar, coletar e averiguar um enorme volume de dados, provenientes de vários lugares e a todo momento, como das próprias máquinas em produção.

Dessa forma, por causa desses sistemas, é possível saber se estão ocorrendo problemas em processos, a fim de garantir maior produtividade e eficiência quando houver crescimento dos recursos produtivos. Tudo isso pode ser analisado em tempo real, o que promove a automatização e otimização dos processos industriais.

Robôs autônomos

De acordo com a Revolução 4.0, os robôs passaram a ser muito mais que somente máquinas programadas para efetuar certa função. Eles têm, agora, a capacidade de ser autônomos e atuar de modo inteligente, até mesmo, interagindo com outras máquinas sem que o ser humano necessite supervisionar todas as operações.

Com isso, os custos com mão de obra reduzem e a produção sobe. Afinal, robôs não precisam parar para descansar, comer, ir ao banheiro e nem necessitam ser interrompidos durante à noite e nos finais de semana.

Sendo assim, o setor industrial ganha mais poder de crescimento, de escalabilidade na produção e de se tornar muito mais competitivo nos seus segmentos de atuação.

Computação em nuvem

A computação em nuvem é uma ferramenta que está cada vez mais presente nas empresas do Brasil. Quando ela é aplicada nos processos industriais automatizados, isso faz com que haja um aumento da capacidade e de velocidade de produção.

Tudo se torna mais simples, pois a cloud computing permite o acesso remoto a vários sistemas, facilitando a integração de todas as máquinas presentes na indústria.

Internet das Coisas na indústria

A Internet das Coisas (Internet Of Things — IoT) se baseia no conceito de que todas as tecnologias são interligadas por sensores e com conexão à internet. Quando se fala da IoT na área industrial, tudo o que ocorre em uma planta de produção pode ser registrado virtualmente.

Os sensores vão criar e analisar informações para que decisões sejam tomadas rapidamente, além de permitir o acesso e o controle de todo o processo de produção.

Impressoras 3D

As 3 dimensões já é uma realidade e está sendo preparada para ser utilizada em larga escala no setor industrial nos próximos anos. Com esse modelo de equipamento, é possível criar itens únicos, visto que a impressora 3D permite a customização com alto nível de precisão e eficiência.

Além de serem bastante práticas e acessíveis, esses equipamentos contam com benefícios como a economia na produção. É possível promover a impressão de produtos muito simples, como etiquetas personalizadas, até mercadorias complexos, como próteses para seres humanos utilizando bem menos capital que o método tradicional.

Simulação

Devido à automatização de processos e à Indústria 4.0, toda a cadeia produtiva pode ser simulada virtualmente. Isso permite a viabilidade da criação de ambientes virtuais com mercadorias, máquinas, materiais, processos e pessoas.

Como consequência, tudo pode ser averiguado sem que a produção necessite ser paralisada, reduzindo, dessa forma, custos de manutenção e perda de tempo.

Como esse conceito pode se aplicar em casa também?

A automação não se aplica somente na indústria. O uso da tecnologia nas casas também é capaz de automatizar e simplificar algumas atividades rotineiras que, em uma residência convencional, seriam de responsabilidade dos moradores. Isso é o que se conhece por automação residencial.

Essa automação se refere a um modelo de solução que visa a proporcionar maior conforto para os lares. Dessa forma, essa é uma tecnologia flexível, em que cabe ao próprio usuário determinar como será beneficiado com esse conceito.

Entre as principais vantagens desses sistemas, encontra-se a possibilidade de melhorar mais o tempo em função da diminuição das atividades do dia a dia, propiciando maior conforto, economia e, sobretudo, segurança.

A meta é conectar dispositivos entre si, que, por sua vez, são acionados e se comunicam por meio de um comando, acessado por celulares, computadores, tablets, incluindo:

  • alarmes;
  • eletrodomésticos;
  • tomadas elétricas;
  • luzes;
  • janelas e portas;
  • sistema de controle de temperatura;
  • mecanismos de irrigação de jardim;
  • detectores de fumaça;
  • câmeras de vigilância, entre outros.

Nessa perspectiva, você pode, por exemplo, ligar e desligar as luzes em horas específicas diariamente, ativar a iluminação assim que o alarme do sistema de segurança for acionado, ou mesmo, programar seu ar-condicionado para funcionar por minutos antes de você chegar em sua residência.

Além dessas ações mais imediatas, aplicativos de monitoramento são capazes de disponibilizar dados precisos sobre a residência. Isso porque apresentam relatórios detalhados sobre equipamentos que poderiam estar gastando menos ou atuando melhor.

Essas são somente algumas das possibilidades, já que a automação residencial trabalha e disponibiliza vários benefícios para seus usuários.

Quais os principais passos para prosseguir com a automação industrial?

Conhecer as prováveis falhas que a sua empresa apresenta talvez seja um dos primeiros passos para conseguir avançar com o processo de automação industrial, afinal nem sempre é possível parar o que se está trabalhando para averiguar com pontualidade as ameaças e fraquezas do negócio.

No entanto, quando se pensa em automação industrial, é fundamental compreender que se trata de investimentos que promoverão vantagens nas mais diversas maneiras para a companhia, seja a curto, médio ou longo prazo. Tudo isso exige bastante esforço e que você entenda quais são as reais necessidades da empresa.

O primeiro passo para prosseguir com a automação industrial é detectar os problemas que são constantes na empresa, como:

  • manutenção de ferramentas por uso indevido;
  • alto valor pago nas contas de energia;
  • desperdício de energia elétrica;
  • estrago de itens que são fundamentais no trabalho.

Depois dessa averiguação sobre as adversidades que se tornaram rotineiras, é necessário proceder um planejamento com as possíveis viabilidades de soluções, seja a curto, médio e longo prazo.

Para isso, ao saber qual é a origem do problema, é preciso determinar um guia de causa e consequência, a fim de saber o que pode ser realizado para impedir que essa situação continue. Caso o seu maior contratempo seja o consumo alto e o desperdício de energia elétrica, por exemplo, é fundamental identificar em qual máquina isso ocorre ou em quais áreas da indústria acontece os problemas.

Após isso, é hora de procurar medidas que sejam capazes de solucionar o óbice (curto prazo) e para evitar que novos problemas resultantes disso (longo prazo) apareçam.

Sabe-se que investir em automação industrial nem sempre reflete uma em uma solução simples e de baixo custo. Assim, se faz necessário criar um plano eficiente de custos e de viabilidade. É nesse planejamento que serão determinadas as estratégias com maiores urgências bem como o capital a ser investido no processo de automatização da companhia.

Posto isso, promover para a realidade da empresa o que está no papel é uma ação de um bom gestor que sabe quando e onde se deve investir e como isso pode proporcionar vantagens que o negócio precisa.

Quais os benefícios de se investir na automação industrial?

Existem várias razões para investir na automação industrial. Veja, a seguir, algumas delas que fazem toda a diferença.

Aumento da produtividade

A produtividade é um benefício bastante óbvio, porém deve ser citado pela qualidade que será empregada nos meios de produção. Com o uso da automação, vários trabalhos que hoje são realizados de modo manual passam a ser efetuados por máquinas e softwares.

Isso abrange desde atividades da linha de produção até ações gerenciais da indústria, como a gestão de estoque, de finanças e de processos. Como resultado, a indústria se torna capaz de fazer mais em menos tempo, ampliando, assim, as receitas, sem aumentar os gastos, além de otimizar a rentabilidade geral.

Atuação mais estratégica

A automatização também permite a viabilidade de uma ação mais estratégica, tanto dos colaboradores como dos gestores. Nessa perspectiva, a meta deixa de estar apenas no operacional e passa para os resultados, identificando alterações pontuais aptas a gerar muitos retornos.

Um exemplo de automatização que promove essa vantagem é a integração de TI. Quando toda a estrutura de Tecnologia da Informação do negócio trabalha a partir de um mesmo sistema, fica bem mais simples achar os erros e as oportunidades de otimização.

Cultura de inovação

No momento em que um colaborador se desloca para o trabalho com a cabeça preocupada em concluir atividades burocráticas ou manuais, é fato que não sobra tempo para ter ideias e apresentar soluções. Em contrapartida, quando máquinas e softwares de computador cuidam do trabalho braçal, os trabalhadores impulsionam seu potencial para se tornar líderes e gestores de sucesso.

Abre-se lugar, dessa forma, para possibilitar uma cultura de inovação na empresa como um todo. Com isso, ideias para criar mais faturamento, diminuir despesas ou melhorar processos podem surgir de qualquer pessoa na empresa.

Diminuição de custos

Uma das metas de qualquer negócio é sempre reduzir os custos para poder ampliar a lucratividade. Com um sistema de automatização industrial, essa vantagem é criada.

Ele é capaz de produzir economia com a folha de pagamento ao diminuir a quantidade de colaboradores e o número de horas trabalhadas. Um sistema também pode economizar nas instalações ao tornar tudo mais comum, como o sistema de iluminação, bem como reduzir gastos com energia elétrica por criar mais em um tempo menor, além de desligar de forma automática quando não estiver sendo utilizado.

Somado a tudo isso, ainda há redução de despesas indiretas. Por exemplo, a criação de resíduos acaba diminuindo. Isso faz com que a indústria economize tanto com materiais como com os processos de descarte.

Melhoria da qualidade

Um dos grandes benefícios das máquinas e dos sistemas é que eles podem disponibilizar resultados padronizados. Em uma empresa voltada para a produção de alimentos, por exemplo, a automatização é capaz de garantir os tempos de aquecimento, de mistura e de espera.

Dessa forma, há densidade na qualidade trabalho e da mercadoria produzida, sem problemas ou descuidos provenientes de falha humana. Isso simplifica, até mesmo, para que a organização alcance certificações como a ISO, trazendo maior confiabilidade para a marca junto aos consumidores, ao mercado e aos fornecedores.

Aumento da segurança

Como se sabe, é comum o erro humano. Porém, isso pode fazer com que muitos acidentes tenham início devido às falhas pessoais. Com a inserção da automação industrial nas situações em que há riscos, é possível que o trabalho humano seja substituído por máquinas e sistemas eficientes e operacionais, a fim de que não aconteçam falhas e nem danos para os trabalhadores.

Em um sistema industrial automatizado, as possibilidades de acidentes por erros da máquina são muito baixas. Isso porque os mecanismos automatizados são programados para executar a função de uma determinada maneira, ampliando consideravelmente a segurança.

Além do mais, a norma regulamentadora NR-12 exige que os fabricantes de máquinas cumpram com as práticas rigorosas de segurança. Dessa forma, ​por meio de suas integrações com os sistemas de TI, podem atuar em locais de risco, processos químicos, fundição, ambientes explosivos etc. Tudo isso, sem precisar que algum trabalhador corra riscos.

Monitoramento remoto

Com o monitoramento, os líderes e gestores não precisam estar na empresa para saber de tudo que está acontecendo. Ou seja, com a transformação digital dos últimos anos, ficou bem mais fácil averiguar de forma remota tudo o que ocorre no negócio.

Com a automação industrial, a empresa pode fazer a ligação dos sistemas de controle às máquinas e aos programas. Com isso, torna-se viável que os profissionais responsáveis possam acompanhar, mesmo estando longe da fábrica, os seus números e resultados.

Enfim, manter-se atualizado quer dizer que a empresa almeja produzir mais com menos custos, utilizando o máximo que a tecnologia tem a oferecer. Por isso, é muito importante inserir a automação industrial no seu negócio com o objetivo de alcançar novos mercados e se destacar perante a concorrência.

O que achou deste post? Quer saber como nossas soluções podem otimizar a sua empresa? Entre em contato conosco!