Quilowatt/hora: como calcular e por que é tão importante?

Se você é responsável por otimizar processos do negócio, saiba que a energia consumida é uma das frentes que deve ser analisada para reduzir custos. Uma das dúvidas mais comuns e que impedem de encontrar oportunidades nessa operação é o cálculo do consumo: como calcular quilowatt/hora?

Conhecer o consumo de energia médio de cada aparelho, por exemplo, é uma forma de melhorar o gasto energético da sua empresa. Com essa informação, é possível fazer ajustes no processo de produção, aliando produtividade, qualidade, agilidade e custos baixos.

Neste artigo, você vai aprender como fazer o cálculo de quilowatt/hora, além de conhecer alguns equipamentos que mais consomem energia e conhecer soluções para reduzir suas despesas com eletricidade. Tenha uma boa leitura!

Para que serve o cálculo do quilowatt/hora?

O cálculo do quilowatt/hora é usado para que você saiba quanto o seu maquinário está consumindo de energia. Inclusive, essa é uma ferramenta interessante para identificar se algum equipamento está apresentado defeito.

Geralmente, quando o seu consumo energético está divergente do apresentado pelo fabricante, é um sinal de que a máquina não está operando corretamente. Além disso, é por meio do mapeamento do consumo energético do seu parque que é possível identificar oportunidades de redução de custos operacionais.

Não é só a questão da manutenção que vai corrigir os custos desnecessários. Com esse mapeamento, você pode rever o seu processo e criar um fluxo que seja eficiente em todos os sentidos e que seja enxuto.

Quilowatt/hora: como calcular essa métrica?

Para encontrar o valor do quilowatt/hora dos seus aparelhos e equipamentos, é preciso usar uma fórmula matemática. Basicamente, você precisa multiplicar a potência do aparelho pelo seu tempo utilizado.

Esse valor é encontrado na etiqueta de eficiência energética do equipamento que, inclusive, sinaliza de qual grupo de consumo ele faz parte.

O que acha de um exemplo? Suponhamos que você queira verificar o quanto um equipamento doméstico consome de energia — no nosso caso, vai ser um ferro de passar. A potência dele é 2000W.

Para encontrar o quilowatt/hora, você precisa dividi-la por 1000, e multiplicar o resultado pelo tempo, que vai ser de 12 horas. Então, temos (2000/1000)*12 = 24 kWh.

Como transformar o valor do kWh em dinheiro?

Agora, se você quer saber quanto está pagando pelo tempo de uso de cada equipamento, deve, após encontrar o quilowatt/hora, multiplicar esse valor pela tarifa praticada pela concessionária de energia da sua região. Suponhamos que o valor dela seja de R$0,64452, na bandeira verde.

Ainda seguindo o exemplo do ferro de passar, teríamos um custo de 24*0,64452 = R$15,46/mês, apenas com esse equipamento. Pensando na questão do acompanhamento dos custos, faça esse mapeamento de cada equipamento utilizadona sua operação.

Registre o cálculo da previsão de consumo médio de cada máquina versus o que foi consumido realmente. Use um wattímetro para identificar quais são aqueles equipamentos que estão com o consumo alterado.

Quais os aparelhos elétricos que mais gastam energia?

Seja em casa, seja no trabalho, você sabe quais são os aparelhos e equipamentos elétricos que mais consomem energia? Conhecer um pouco sobre eles vai ajudar você a identificar soluções para otimizar a eficiência energética do seu negócio. Continue a leitura e saiba mais!

Em casa

Hoje, muitas pessoas estão trabalhando na modalidade de home office e a tendência é que a conta de energia suba um pouco. Afinal, você está passando mais tempo em casa e vai usar mais os seus aparelhos elétricos. Para evitar que o consumo de energia seja um ponto negativo no seu trabalho remoto, coloque em prática o cálculo do quilowatt/hora.

Todo equipamento que é utilizado de maneira inconsequente vai trazer maior custo para a sua conta elétrica. Chuveiro, ar-condicionado e geladeira são os principais vilões da despesa energética.

Um chuveiro tem 5500W de potência. Com banhos de 30 minutos, por exemplo, e considerando a tarifa apresentada anteriormente, você consome R$82,50 por mês. Em relação ao ar-condicionado, busque sempre ligá-lo apenas quando realmente é necessário.

Além disso, garanta que a manutenção esteja em dia e que ele foi instalado corretamente. A geladeira, por si, já consome bastante energia. Evite ficar abrindo a porta com frequência, pois essa ação aumenta o consumo energético.

Na indústria

Na indústria, os equipamentos utilizados são de alta voltagem. Isso significa que a sua potência é maior, consumindo mais energia, se comparados com aparelhos domésticos. Além disso, a tarifa cobrada pela concessionária de energia é diferente: o preço do quilowatt/hora é mais alto.

Os equipamentos mais comuns na indústria são caldeiras, esteiras elétricas com balança, estufas e bombas d’água. Todos consomem bastante energia e o segredo para evitar custos desnecessários é a manutenção preditiva. Aliando o mapeamento a essa boa prática, com certeza, a sua indústria vai conseguir otimizar a eficiência energética.

Há outras boas práticas para a redução de consumo?

Além das dicas que já demos para que você possa reduzir suas despesas com consumo energético, ainda há outras boas práticas que podem ser implementadas, tanto em casa como na sua empresa. Leia com atenção às nossas sugestões, porque são ações estratégicas que trazem resultados em pouco tempo e mensuráveis.

Aposte em ambientes claros

Uma dica simples, mas que muitas vezes é ignorada, é o uso de recursos que deixem o ambiente mais claro. É importante utilizar móveis de tons claros, como o branco, e apostar na iluminação natural do local. Para isso, é importante ter janelas grandes e dispostas em locais estratégicos, que permitam maior incidência de luz solar ao longo do dia.

Adote a geração distribuída de energia

Você já ouviu falar sobre o mercado de geração distribuída de energia? Nesse modelo, a sua empresa produz energia e a distribui para a rede da concessionária, gerando um desconto na sua conta de consumo.

É possível fazer isso por meio de fontes renováveis, e a mais usada é a energia fotovoltaica ou solar. O mais interessante é que você pode ter um gerador, que vai armazenar energia e poderá ser ativado em caso de queda.

Faça um projeto luminotécnico

Uma forma inteligente de potencializar os resultados das ações descritas acima é apostar em um projeto luminotécnico. Com ele, você consegue otimizar o uso energético do local, ao implementar soluções inovadoras, que vão reduzir a quantidade de pontos de luz elétrica, enquanto potencializam a luminosidade, como o uso do LED.

Agora que esclarecemos a sua dúvida quanto a como calcular o quilowatt/hora, saiba que, com as ações apresentadas, além de reduzir custos, você vai pôr em prática atitudes sustentáveis. Do ponto de vista do mercado, essa conduta agrega valor à sua marca.

Inclusive, se a sua empresa ainda não tem, pode começar a produzir um relatório de sustentabilidade. Dessa maneira, a sua organização atrai clientes e investidores.

Se você gostou deste artigo sobre eficiência energética e quer saber mais sobre o assunto, não deixe de acompanhar as nossas novidades nas redes sociais. Estamos Instagram, Facebook, YouTube e LinkedIn!