Saiba como agir em um surto elétrico!

Os surtos elétricos acontecem nos ambientes de trabalho constituídos por máquinas e equipamentos que consomem energia. Também ocorrem em condomínios residenciais e em edifícios comercias, nas indústrias, nas casas e apartamentos. Contudo, já existem tecnologias que oferecem proteção contra essas ocorrências e evitam incidentes inesperados.

Neste post, vamos explicar o que é um surto elétrico e como ele pode ser danoso para a empresa. Além disso, vamos apontar as suas principais causas e suas consequências, bem como a importância do aterramento e da adoção de meios de proteção.

Deseja saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura deste artigo e fique por dentro!

Entenda o que é um surto elétrico

O surto é um efeito transitório ou uma onda transitória de tensão que ocorre na rede elétrica e aumenta a taxa de variação de energia durante algumas frações de segundo. O aumento na tensão da rede chega a aproximadamente 100% do valor normal, gerando um curto-circuito que pode atingir todos os aparelhos conectados às fontes de energia.

Conheça os danos causados

Os surtos de tensão podem ser muito danosos, especialmente se forem originados por raios. As descargas atmosféricas e os curtos-circuitos oferecem riscos graves para as empresas, tais como danos em equipamentos elétricos, suspensão das atividades laborais e prejuízos com a reposição dos maquinários.

Por outro lado, os incêndios destroem o patrimônio consumindo bens de alto valor e reduzindo o estabelecimento a cinzas. Tudo isso pode ser ainda pior se houver ferimento de trabalhadores ou até mesmo mortes. Isso sem mencionar a possibilidade de ações judiciais pelos familiares dos colaboradores envolvidos e prejudicados.

Descubra as principais causas

Os surtos elétricos, normalmente, são causados por descargas atmosféricas, pelas interrupções operacionais e pelo chaveamento ou “liga e desliga” de equipamentos de alta potência. São vários os fatores que interferem na rede, por exemplo, as partidas de motores de grande porte ou as anomalias nas instalações.

Onde há consumo de energia elétrica, há risco de ocorrência de surto elétrico, devido às chances de distúrbios, tais como o descarregamento ou o acúmulo de cargas elétricas. O religamento da energia elétrica após um apagão é outra situação que pode causar um surto.

Saiba quais são as consequências

Como mencionado, as consequências do surto elétrico podem ser desde leves até gravíssimas. A queima dos maquinários e aparelhos gera prejuízos financeiros, com o desperdício de valores que poderiam ser investidos para a elevação dos lucros. Além do mais, se vier a acontecer um acidente grave, o proprietário da empresa pode ser condenado a pagar altas indenizações aos prejudicados.

Compreenda a importância do aterramento

O aterramento protege as estruturas físicas contra a perda de equipamentos e máquinas que são ligados às tomadas de energia elétrica. Um profissional especializado faz o procedimento ligando o fio terra a uma haste metálica que é cravada no solo. O fio neutro também é conhecido como condutor de segurança, que é instalado em conjunto com o medidor ou relógio de energia.

O aterramento é útil quando a corrente elétrica circula da instalação com alteração do fator de potência para o aparelho e provoca um curto-circuito, pois ele a desvia para a terra, que a absorve. Se não houver aterramento, a corrente elétrica não é desviada e atinge a pessoa que tocar no equipamento, pois ela própria será o caminho até a sua chegada ao solo.

Desse modo, o aterramento, também chamado de sistema de proteção contra descargas atmosféricas, é exigido pela Norma Regulamentadora ABNT nº 5419 – 1:2015, além de ser indispensável para a segurança das pessoas. No entanto, o fio terra não é suficiente para proteger os equipamentos dos surtos elétricos. Ele protege somente os usuários e a edificação, sendo exigido pelo Corpo de Bombeiros.

Confira como proteger o patrimônio dos surtos elétricos

A evolução da tecnologia trouxe enormes benefícios à sociedade. Com ela, foram encontradas novas formas de evitar desastres gerados pela energia elétrica, por exemplo, o uso de protetor de surto (DPS). No mercado, você vai encontrar dispositivos de proteção contra surtos específicos para atender às suas necessidades.

Essas ferramentas são chamadas ainda de supressores de surtos. São aparelhos que protegem rapidamente as máquinas e os equipamentos contra o excesso ou os picos de tensão da rede elétrica, dos campos eletromagnéticos ou da linha de telefone. As queimas são evitadas e os prejuízos minimizados por esses dispositivos.

O uso do DPS é obrigatório por lei e pode ser exigido pelas concessionárias de energia elétrica. O dispositivo foi criado para que os usuários nem percebam a ocorrência dos surtos de tensão, que não conseguem danificar os maquinários. Existem três tipos diferentes de supressores:

  • tipo I – faz a proteção primária de ambientes que sofrem descargas atmosféricas e é instalado nos quadros gerais de distribuição;
  • tipo II – responsável pela proteção secundária das edificações na ocorrência de raios e é colocado nos quadros secundários de distribuição de energia;
  • tipo III – protege os equipamentos conectados à energia elétrica e é instalado nas tomadas.

O DPS, além de proteger o patrimônio, também protege as pessoas das sobretensões que são comuns quando se trata de eletricidade. Ele é a solução ideal para aqueles que desejam evitar acidentes e incidentes prejudiciais ao bom andamento dos negócios. Danos irreparáveis podem ser evitados com a aquisição desses dispositivos.

Aconselha-se que um profissional capacitado faça a instalação do DPS, caso o supressor não tenha sido inserido no projeto arquitetônico. Assim, o dispositivo pode estar presente desde o início da edificação. No entanto, se não estiver, pode ser instalado facilmente e com agilidade por alguém que tenha o devido preparo para isso.

O custo-benefício é visível, já que ele pode fazer parte até mesmo de uma instalação mais antiga, desde que seja escolhido adequadamente para cumprir as suas funções. O dispositivo é parecido com um interruptor e deve ser instalado de acordo com as necessidades do usuário.

Agora você já sabe como agir em um surto elétrico! Adote meios de proteção como o DPS e fique livre de problemas futuros em suas instalações elétricas. Fale com alguém que seja especialista no assunto e invista em prevenção, assim, você evita gastos com correção e inúmeras dificuldades causadas pelos surtos elétricos.

Gostaria de obter mais informações relacionadas ao tema? Então, assine a newsletter e receba as novidades na caixa de entrada do seu e-mail!