Você sabe o que é e para que serve a telegestão em projetos de iluminação?

Nos últimos anos, a tecnologia tem avançado e transformado a forma como as pessoas se relacionam com o trabalho, lazer e interpessoalmente. Essa realidade também trouxe impactos para as grandes empresas, que se apoiam nos recursos e ferramentas para controlar processos e equipamentos. A telegestão é uma dessas realidades transformadoras.

O conceito de telegestão está relacionado à smart city e à internet das coisas. É uma gestão otimizada dos recursos da cidade, como se fosse teleguiada. Ela tem, obrigatoriamente, relação com algo físico e com uma conexão que não seja por cabos, mas por ondas eletromagnéticas. Ou seja, estamos falando de sinal de telefone, WiFi ou outro tipo de sinal.

Para entender um pouco mais sobre esse conceito e como é possível fazer uma telegestão da iluminação, leia este post até o fim. Você conhecerá as vantagens e as relações tecnológicas que permitem esse modelo de gestão!

A telegestão da iluminação

Na iluminação, o conceito de telegestão está ligado ao LED. É possível fazê-la em luminárias convencionais, porém, as vantagens de informação são melhores aproveitadas e geradas quando utilizadas junto ao LED.

A telegestão em LED permite que os recursos da cidade ou da empresa sejam utilizados de forma eficiente. Por exemplo, a luminária do poste público é ligada quando escurece (18 horas) e desligada ao amanhecer (6 horas).

Nesse exemplo, quando as luminárias são pré-programadas para ligar ou desligar em horários específicos e fechados, temos uma realidade que pode causar gastos desnecessários. Vamos imaginar que a luminária seja de 100 Watts e é acionada às 18h. Nesse caso, mesmo quando há resquício de sol, a luz natural prevalecerá, e a luminária gerará custos sem necessidade.

Caso o sol se ponha um pouco mais cedo, o local ficará sem iluminação, podendo trazer prejuízos para a segurança da população — no caso das cidades — ou dos trabalhadores — no caso das empresas. Ou seja, é preciso que a luminária seja acionada quando realmente houver uma necessidade.

A telegestão da iluminação propõe estratégias que ajudam a manter o consumo de energia elétrica otimizada. Caso uma rua não seja muito movimentada, por exemplo, não há necessidade de gastar Watss para mantê-la iluminada de modo permanente. Nesse caso, é possível instalar uma iluminação mais branda. A partir de um sensor, a luminária será acionada quando captar o movimento, e a potência é elevada só nesse momento.

Não são todos os locais da cidade que precisam estar 100% iluminados, somente os locais com maior movimentação de pessoas. A telegestão permite que haja o gerenciamento por ambiente, movimentação de pessoas ou luminosidade do ambiente, estabelecendo-se o momento que a luminária será ligada.

Em vez de gastar 100% de energia dos 100 Watts durante o período que a luminária é ligada, pode-se potencializar a economia de acordo com o cenário construído. Esse plano favorece as cidades e as indústrias, por meio de um plano luminotécnico minuciosamente elaborado.

A telegestão também permite o mapeamento de todas as luminárias instaladas em um ambiente. Desas forma, é possível direcionar a equipe de manutenção para o local correto, deixando o serviço otimizado. Vale ressaltar que esse gerenciamento permite o maior controle do estoque, a economia com as trocas frequentes e a valorização do trabalho dos técnicos.

A telegestão na prática

A telegestão já é uma realidade no Brasil, mas o seu uso varia conforme o Estado e municípios, devido aos recursos financeiros necessários para a implementação dessa tecnologia. Por outro lado, não é necessário implementar todo o processo de telegestão de uma só vez. Pode-se fazê-lo gradualmente, dentro da necessidade e dos investimentos disponíveis.

O projeto de telegestão precisa contemplar uma luminária que possibilite a comunicação com a rede de controle das informações. Essa central precisa ter uma tecnologia que permita um comando capaz de gerenciar e dar uma resposta ágil. De fato, trata-se de uma iluminação inteligente.

De modo geral, é necessário contar com luminárias de LED que tenha tecnologia para a telegestão, ou seja, que tenham o protocolo DALI ou tecnologia de 1 a 10 volts.

Também é exigido um software de gestão, no qual serão gerados os relatórios. O dashboard desse programa deve permitir configurar a programação das luminárias, contendo alguns componentes que fazem a comunicação entre o software e a luminária. Esses componentes dependem um pouco da tecnologia que será aplicada pelo fabricante escolhido para trabalhar em conjunto.

Com toda a estrutura preparada, não será preciso — necessariamente — comprar as luminárias, os componentes de gestão e o software de uma vez. É possível iniciar o processo com as luminárias que permitam essa tecnologia, já planejando um investimento progressivo para adquirir o restante dos componentes.

Atualmente, comprar uma luminária que não tenha o protocolo DALI ou a tecnologia de 1 a 10 volts torna-se um investimento ruim para empresas e cidades. Isso acontece porque, daqui a alguns anos, a gestão de recursos pode ser melhorada com um produto apto a adotar a telegestão.

As vantagens da telegestão

A telegestão da iluminação permite às cidades e empresas um gerenciamento mais efetivo dos recursos financeiros. A energia elétrica é um dos maiores custos dentro do planejamento orçamentário, por isso, contar com a tecnologia para aliviar esses valores é uma excelente alternativa.

A luminária de LED permite até 75% de economia da energia elétrica, se comparada às convencionais. Embora o custo inicial seja mais elevado, o LED acaba compensando com o passar do tempo, trazendo retorno financeiro em poucos meses.

O sistema de integração proposto pela telegestão é um dos maiores benefícios proporcionados pelas luminárias de LED e causa impactos diretos na forma como a cidade ou a empresa distribui os recursos financeiros para essa questão.

Portanto, entre as vantagens que podemos encontrar na telegestão, temos:

  • maior controle e mapeamento das luminárias;
  • economia na conta de energia elétrica;
  • otimização no uso das luminárias;
  • sustentabilidade;
  • segurança.

A telegestão é um preceito associado às cidades inteligentes, programadas para tornar a tecnologia uma ferramenta facilitadora para a vida dos cidadãos. Quanto utilizadas nas empresas, esses recursos oferecem aos gestores uma visão mais aprofundada da distribuição das luminárias, otimizando todo o fluxo luminoso em cada planta da estrutura empresarial.

Para se manter em dia sobre as tecnologias que podem impactar e alterar os cenários da sua empresa, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber materiais exclusivos diretamente do seu e-mail!