Guia completo sobre as tarifas de energia no Brasil!



 

Você está em busca de informações sobre as tarifas de energia no Brasil?

Neste artigo, vamos apresentar um guia completo sobre elas e falar a respeito do se órgão regulador, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Com a leitura deste conteúdo, você vai entender para que serve essa agência, quais são as principais atividades dela e por que ela é importante para o nosso país.

Também vamos explicar como são estipuladas as tarifas e para onde elas são direcionadas. Descubra o significado de eficiência energética, bem como a importância de reduzir o consumo de energia elétrica na indústria e quais são os principais motivos para a sociedade investir nisso.

São inúmeros os benefícios advindos da economia desse bem que não é infinito. Por exemplo: a garantia da sustentabilidade nos negócios e a consequente proteção da natureza.

Além de compreender os fatores que levam os empresários a reduzir custos na indústria e a criar políticas de consumo consciente, você vai se aprofundar no conhecimento das boas práticas que devem ser adotadas para fazer parte de um seleto grupo de pessoas, que se preocupa em aumentar a lucratividade e, ao mesmo tempo, garantir o futuro do nosso planeta.

Já ouviu falar de projetos luminotécnicos nos quais há a combinação de tecnologia de ponta e eficiência energética? Siga em frente!

O que é a ANEEL e para que ela serve?

A ANEEL é uma autarquia vinculada ao Ministério de Minas e Energia que foi criada em regime especial para regular o setor de energia elétrica no Brasil com a publicação da Lei n° 9.427/1996 e do Decreto nº 2.335/1997. Ela deu início às suas atividades em dezembro de 1997, sendo responsável pelas seguintes atribuições relacionadas à energia elétrica:

  • regular desde a produção até a sua comercialização;
  • fiscalizar todas as relações que envolvem os serviços a serem prestados;
  • implementar as políticas e diretrizes referentes à exploração do bem;
  • estabelecer tarifas para as concessionárias e permissionárias de distribuição;
  • mediar os conflitos entre os próprios agentes e os consumidores;
  • promover a outorga de concessão, permissão e autorização de serviços.

A agência tem como missão propiciar as condições necessárias para que o mercado de energia elétrica possa se desenvolver de forma equilibrada entre os seus agentes para beneficiar a sociedade brasileira. Uma das suas principais funções é regular e fiscalizar os agentes envolvidos no atendimento aos consumidores, para que todos os cidadãos tenham acesso à energia elétrica, fazendo com que esses fornecedores não pratiquem abusos.

Por que as tarifas de energia no Brasil são necessárias?

Como já foi mencionado, a ANEEL tem o dever de definir as tarifas que vão ser cobradas nas contas de energia elétrica, por imposição da legislação vigente. Para fazer o cálculo desses valores, a agência deve considerar determinados componentes, que são variáveis. Veja, a seguir, quais são os elementos que interferem nas tarifas:

  • custos dos encargos setoriais;
  • preço de compra de energia;
  • gastos com transmissão e distribuição;
  • despesas de uso da rede de distribuição.

Em virtude disso, todos os anos, os funcionários da ANEEL são obrigados a promover o reposicionamento dos montantes tarifários de todas as distribuidoras, considerando as regras e os instrumentos contratuais firmados. Vale destacar que sobre essas tarifas há a incidência de impostos federais, estaduais e municipais, tais como:

  • Contribuição para Iluminação Pública (CIP);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

A agência também desempenha a função de definir os padrões de qualidade dos serviços, como atendimento e segurança no abastecimento, considerando divergência entre as regiões e os territórios. Ela deve fomentar a livre competição no mercado, enquanto promove o uso adequado da energia elétrica. Fora isso, as tarifas também abarcam outros custos significativos:

  • perdas;
  • impostos;
  • encargos sociais;
  • transmissão e distribuição da energia.

A ANEEL também é responsável por realizar investimentos para a ampliação e a manutenção de toda a infraestrutura para entregar os valores agregados aos consumidores. Já as distribuidoras ficam apenas vinculadas aos compromissos referentes ao final da cadeia de valor. Isso significa que elas compram a energia e depois repassam para o consumidor, podendo cobrar o valor médio.

Elas incluem no seu cálculo os custos com infraestrutura de distribuição, aplicando a tarifa Fio. Mas quem define o valor dessa tarifa é a ANEEL, que determina a quantia se baseando nos indicadores de qualidade. Somente assim é possível remunerar os investimentos das distribuidoras para que obtenha um retorno adequando e consigam se manter ativas para o cumprimento do seu papel.

O que é eficiência energética?

O termo eficiência energética pode ser definido como atividade que visa à melhoria da utilização das fontes de energia, por meio do seu uso racional, que deve ocorrer de modo eficiente para a obtenção de resultados satisfatórios. Portanto, a eficiência energética envolve a análise da quantia de energia efetivamente utilizada em cada atividade, em comparação com a energia disponibilizada ou acessível.

Ao lado das energias renováveis, a eficiência energética é um dos pilares da política energética sustentável. Vale ressaltar que as energias renováveis são aquelas oriundas de fonte geradora diversa da energia elétrica regulada pela ANEEL.

Qual a importância de investir em eficiência energética?

A eficiência energética está relacionada com os processos de produção eficientes. A sua meta é que os produtos e bens sejam produzidos ao máximo e com o mínimo consumo de energia elétrica.

Atualmente, isso é primordial para as indústrias de todos os ramos, para que se mantenham competitivas e permaneçam ativas. Como você pode observar, investir em eficiência energética é muito importante, principalmente nos momentos de crise que se evidenciam em nossos dias.

Isso é mais um motivo para investir na redução do consumo elétrico na sua empresa. Afinal de contas, o objetivo de todos é produzir mais gastando menos, para aumentar os lucros e melhorar os resultados das organizações.

Quais os principais motivos para reduzir o consumo de energia?

Além das razões mencionadas acima, existem outros motivos para investir na redução do consumo de energia elétrica. Na verdade, aderir a essa prática é uma necessidade do nosso país, já que a energia no Brasil está entre as mais onerosas do mundo.

Não há razão para o desperdício e a dispensação de recursos para o pagamento de valores que podem ser eliminados, não é mesmo? Então, não importa qual seja o seu segmento, você pode participar das medidas que visam à diminuição do consumo, para não comprometer os recursos naturais que estão sendo desperdiçados e não são renováveis.

Eles são finitos, por isso, a preocupação de milhares de instituições em promover a eficiência energética e garantir um futuro com as mínimas condições de sobrevivência das próximas gerações. Acompanhe, adiante, outras razões para minimizar o consumo de energia.

Redução de custos

Para reduzir os custos com energia elétrica, você pode seguir algumas dicas interessantes que já estão sendo colocadas em prática por inúmeros empresários e colaboradores. A boa notícia é que se pode fazer isso tranquilamente e sem prejudicar as atividades empresariais.

Afinal, a ideia é modificar hábitos e utilizar as inovações tecnológicas disponíveis. Confira os primeiros passos a serem dados na sua empresa:

  • verifique o correto funcionamento de todos os aparelhos, máquinas e equipamentos;
  • confira a adequação das tomadas dos equipamentos de alta potência;
  • analise se há equilíbrio de carga nas fases das estruturas físicas;
  • observe a classificação dos aparelhos de ar-condicionado e faça a manutenção periódica deles;
  • faça o mapeamento dos hábitos dos seus funcionários;
  • elabore um projeto de iluminação de iluminação LED para substituir as tecnologias convencionais (vapor de sódio, mista, metálica, outras)

Não importa qual seja a área da sua empresa, nem se ela é de pequeno, médio ou grande porte. Pode ser uma indústria, um condomínio, um estacionamento, um supermercado, uma loja comercial, um hospital, uma escola, uma instituição pública etc. Em todos os casos, é possível realizar a redução dos custos e lucrar mais seguindo esses conselhos que parecem tão simples!

Criação de política de consumo consciente

Desde o ano de 1981, existem incentivos do poder público para a aplicação de medidas de eficiência energética. Na época, eles surgiram com o Programa Conserve, cujo intuito era a conservação da energia nas indústrias.

Depois disso, as ações do governo foram evoluindo, até chegar a um marco regulatório que ocorreu com a publicação da Resolução da Aneel nº 482/2012. Ela instituiu um sistema de compensação para as unidades consumidoras de energia.

As entidades que utilizavam fontes hidráulicas, solares, eólicas e outras técnicas sustentáveis podiam obter créditos, com prazo de vencimento de 36 meses, caso o balanço de energia elétrica mensal comprovasse que elas haviam gerado mais energia do que o próprio consumo.

Aproximadamente três anos depois, esse regramento foi atualizado por meio da Resolução da Aneel nº 687/2015. Ela amplia o vencimento dos créditos para seis meses e limita a potência para, no máximo, 5MW.

Mas o Plano Nacional de Eficiência Energética (PNEf) foi criado em 2011, descrevendo as condutas a serem realizadas para conservar a energia em todos os setores: educação, saneamento, iluminação pública, edificações, transportes, indústria e outros. Ele trouxe o apontamento de medidas para a modernização e substituição de equipamentos sem eficiência, com o registro de mecanismos para estimular os empreendedores a fazer a contratação de consultorias especializadas.

Analise outras mudanças importantes:

  • setor de transportes — mudança da matriz rodoviário para ferroviário, rodoviário e hidroviário;
  • setor de edificações — incorporação dos conceitos de eficiência energética nos planejamentos urbanos e códigos de obras;
  • setor de iluminação pública — incentivo à indústria nacional de Light Emitting Diodes (LED), instituição do Programa Nacional de Iluminação Pública e Sinalização Semafórica Eficientes (Procel Reluz);
  • setor de saneamento básico — fomento ao desenvolvimento de métodos de diagnósticos e de intervenção em sistemas de tratamento e abastecimento;
  • setor de educação — planos integrados para escolas e comunidades compartilharem conhecimentos para a conscientização e combate ao desperdício.

Os planos nacionais complementaram programas e legislações, apoiando a execução das medidas de conservação de energia elétrica. Hoje, a ideia de preservação ambiental está ganhando espaço cada vez mais.

Nos ambientes corporativos, os selos de sustentabilidade diferenciam as instituições que aderiram a essas políticas. O assunto tem relevância e destaque internacional, de modo que as certificações conferem prestígio às corporações sustentáveis.

Estímulo aos colaboradores

Aderindo às práticas de sustentabilidade, você pode começar a estimular os funcionários para seguir os conselhos de eficiência energética. Inicie colocando avisos nas paredes, próximos aos equipamentos elétricos.

Depois, é preciso iniciar um processo de conscientização das equipes, visto que elas são essenciais para que as medidas funcionem. A mudança dos hábitos pode levar certo tempo, mas ela é eficaz. Abaixo, algumas ideias que você pode utilizar:

  • criação de comitê especial;
  • reuniões periódicas para abordar o assunto;
  • competições entre setores com premiação para aquele que consumir menos;
  • promoção de campanhas de endomarketing.

Essas são atitudes simples, que contribuem para aumentar a economia da sua conta de energia elétrica, que chega todos os meses para quitação. Converse com as lideranças e peça auxílio para levar a questão ao conhecimento de todos os seus colaboradores.

Eles podem fazer muito com pequenos gestos: desligando os aparelhos no final do dia, apagando as luzes ao sair das salas e utilizando a iluminação natural.

Credibilidade com os consumidores

Muitos consumidores consideram a adesão aos métodos sustentáveis antes de efetivar as suas compras. É um público com número elevado, seleto e muito bem informado, exigente e que se preocupa com o meio ambiente.

Essas pessoas que se importam com o futuro da humanidade e pensam em contribuir vão dar preferência para a sua marca quando descobrirem que a sua empresa aderiu aos princípios da sustentabilidade.

Preservação dos recursos naturais

Os recursos naturais são utilizados pelas empresas de forma direta ou indireta. Porém, os empreendimentos que adotam práticas sustentáveis fazem o uso racional e evitam o desperdício.

Você pode pensar que as atitudes registradas no decorrer deste guia são irrelevantes, mas se elas forem realizadas pela maioria das organizações e por longo período, o impacto na natureza é muito menor. É possível reduzir a poluição atmosférica e das águas, bem como preservar todos os ecossistemas.

Garante sustentabilidade ao negócio

As medidas ecológicas são redutoras de custos e geradoras de recursos. As empresas podem ir além da economia de água e luz, reutilizando materiais, contribuindo com a reciclagem de resíduos, eliminando ao máximo o uso do papel, adotando procedimentos eletrônicos, e muito mais!

Um negócio sustentável é aquele que tem como meta a adoção de práticas que permitam que ele se mantenha por si. Ou seja, ele vai encontrar meios de gerar a energia para depois consumir.

Como reduzir o consumo de energia elétrica na indústria?

O uso da energia elétrica pode ser reduzido em todos os segmentos industriais, empresariais, comerciais e públicos. As tecnologias de ponta chegaram para ajudar na implementação das medidas sustentáveis nos mais variados nichos.

Por esse motivo, se você gostaria de conquistar a credibilidade dos consumidores que são adeptos da sustentabilidade, vá em frente e siga as nossas próximas orientações!

Elaboração de um projeto de iluminação adequado

Você vai encontrar diversos tipos de iluminação voltados à sustentabilidade disponíveis no mercado. Realmente, há uma diversidade fantástica de dispositivos, equipamentos, sistemas, softwares e outras inovações tecnológicas.

São muitas as possibilidades, razão pela qual você não deve se aventurar em um campo desconhecido. A elaboração de um projeto luminotécnico é a decisão correta e gera resultados excelentes.

Os profissionais especializados e habilitados para fazer esses projetos vão garantir o atendimento a todas as legislações e especificações técnicas. Eles vão elaborar e implantar um sistema que maximize o custo-benefício, gerando mais economia para o seu negócio. A durabilidade das estruturas implementadas por esses parceiros capacitados é de mais ou menos 15 anos. Logo abaixo, verifique alguns detalhes sobre isso!

Economia com uso de sensores

São utilizados sensores que fazem a emissão de sinais para os sistemas, alertando para que as luminárias entrem em operação quando há movimentação em locais determinados. Não havendo movimento, as luminárias fazem automaticamente a redução do nível de luz emitida, gerando economia de energia elétrica.

Durabilidade das luminárias

Podem ser usadas as luminárias de LED, que têm vida útil prolongada, de modo que a substituição desses dispositivos é mais demorada do que as lâmpadas comuns. Além disso, a iluminação delas é mais potente e abrangente.

Refletores industriais

Um refletor industrial é um equipamento de eficiência energética comprovada. São dimensionados para oferecer praticidade de utilização, excelente qualidade e muita economia pela sua otimização tecnológica. Por causa disso, estão incluídos nos projetos de iluminação.

Gestão por controle remoto

Uso da gestão remota de controle gera benefícios. Os sensores têm longo alcance, possibilitando o controle remoto por não estar conectados em fios, ser ágeis e eficientes, interligando diferentes áreas por meio de uma simples configuração.

Avaliação de pontos de sombra

Nos locais externos e em períodos noturnos, a falta de luminosidade afeta a segurança dos funcionários. Os profissionais fazem uma avaliação completa de todos os setores, do lado de dentro da empresa e do lado de fora, aprimorando a visibilidade com a distribuição planejada das luzes e a aplicação de contraste.

Atendimento ao dimensionamento da rede elétrica

Uma equipe especialista instala os dispositivos tendo conhecimento técnico e avaliando correntes, disjuntores, conectores, diâmetro de fios, fontes, dissipadores de energia e tudo o que for necessário para que a iluminação fique perfeita.

Enfim, um projeto de iluminação oferece luzes com qualidade após a realização de análises e estudos dos locais específicos, disponibilizando técnicos habilitados para atender a todas as necessidades dos seus clientes. Eles vão avaliar a performance dos equipamentos com o uso de tecnologias avançadas — vale a pena conferir!

Otimização da iluminação com tecnologias de ponta

Invista em soluções integradas e com tecnologia de ponta, considerando que é um investimento que vai durar por muito tempo. Você pode ter acesso ao que há de mais moderno no mercado se localizar os melhores fornecedores do Brasil.

Para não perder tempo, comece a planejar a substituição das luminárias antigas por outras mais atuais, que ofereçam eficiência energética.

Realização de manutenções em aparelhos e máquinas

Os empreendimentos que adotam a manutenção preventiva, realizando o monitoramento periódico e controlando o funcionamento dos aparelhos e máquinas, conseguem reduzir o consumo de energia. A revisão minimiza a incidência de falhas que prejudicam o desempenho dos equipamentos.

Ela tem um custo bem menor do que a prevenção corretiva, que só é feita quando problemas acontecem com os dispositivos e maquinários. Não permita que os seus aparelhos permaneçam desajustados, ineficientes e inseguros.

Substituição dos motores elétricos

Você já deve substituir os motores elétricos por outros equipamentos mais eficientes, que estão minimizando os custos operacionais nas indústrias. Existem máquinas multifuncionais, com vida útil elevada, e que são fabricadas com a finalidade de reduzir os impactos ambientais, diminuindo pela metade o consumo de energia.

A modernização industrial permite essa substituição para que sejam deixados de lado os equipamentos que estão ultrapassados.

Priorização do cobre em seu projeto de eficiência

O cobre é um dos melhores condutores de energia elétrica que o mundo já conheceu. Além disso, ele é 100% reciclável e responsável pelo melhor desempenho dos aparelhos elétricos.

Os tubos de cobre são úteis para transportar água, aquecer edifícios e, inclusive, nos sistemas de refrigeração. Por outro lado, esse metal produz mais calor do que os outros e melhora o desempenho de máquinas que têm maior presença dele em suas peças internas, aumentando a produtividade.

Aproveite todas as informações disponibilizadas sobre as tarifas de energia no Brasil para alavancar os seus negócios, por meio das boas práticas da sustentabilidade e das inovações tecnológicas que já estão disponíveis no mercado. O futuro do planeta está em nossas mãos e só depende de que cada um faça a sua parte. São as pequenas atitudes que fazem a diferença no dia a dia e, no final de alguns anos, produzem os maiores resultados!

Gostou de saber como é possível otimizar a gestão de forma sustentável e deseja obter outras dicas relevantes? Assine a nossa newsletter e receba as novidades no seu e-mail!