Protetor de surto: entenda o que é e como funciona



Quando está caindo uma chuva muito forte, as pessoas têm o costume de desligar todos os aparelhos eletrônicos e retirá-los da tomada, para evitar que aconteça o surto elétrico. Esse fenômeno provoca a queima de dispositivos elétricos e eletrônicos, devido à descarga elétrica. Mas, para não ter tais prejuízos, basta usar um protetor de surto.

Os dispositivos de proteção contra surtos detectam sobretensões na rede de energia. Assim, esses equipamentos desviam as correntes de surtos capazes de queimar os aparelhos de uma casa que estiverem ligados na tomada.

Se você não conhecia o recurso, continue por aqui para ver como ele funciona e qual a sua importância em um projeto de iluminação, bem como os tipos encontrados no mercado e do que se trata um surto elétrico! Vamos lá?

O que é um surto elétrico?

Um surto elétrico nada mais é do que uma onda transitória de tensão, corrente ou potência, cuja principal característica é a elevada variação em um curto espaço de tempo. Essa onda vai crescendo e se propagando por sistemas elétricos, podendo causar sérios problemas em dispositivos elétricos e eletrônicos que estiverem ligados na rede de energia.

Esse tipo de evento é mais comum e conhecido quando ocorre em dias de chuva muito forte, ao ser provocado pelas intensas descargas atmosféricas. Mas o que muita gente não sabe é que o surto elétrico pode acontecer devido a outros fatores do nosso cotidiano.

Além das descargas atmosféricas, que são registradas quando raios atingem uma instalação elétrica, o surto ainda pode acontecer por manobras na rede, nos chaveamentos feitos pelas companhias energéticas para interromper a distribuição de energia em determinado local. Eles também são verificados no religamento das fontes desses lugares.

Um surto elétrico tem sua ocorrência inclusive no ligamento ou desligamento de máquinas. Essa ação pode ocorrer no nosso dia a dia, quando ligamos ou desligamos elevadores de prédios ou até aparelhos de ar-condicionado e máquinas de lavar.

O que acontece é que, ao serem ligados ou desligados, os motores dessas máquinas geram sobretensões transitórias. Consequentemente, são causados danos imediatos aos equipamentos que estiverem vinculados na mesma rede energética.

Do que se trata o protetor de surto?

Com o avanço da tecnologia, a gente sempre se beneficia, visto que surgem muitas soluções para os diversos problemas do cotidiano. O protetor de surto é uma delas, pois atua desviando a corrente do surto elétrico e evitando que ela atinja seus aparelhos eletroeletrônicos.

Funcionamento

O dispositivo de proteção contra surtos elétricos tem como função principal proteger os equipamentos de descargas elétricas. O DPS é dividido em três classes, porém o princípio de funcionamento é o mesmo.

Ele atua na mudança da impedância interna, uma vez que, ao aumentar a tensão dos terminais do DPS, a impedância vai diminuir. Com isso, o dispositivo provoca o desvio da corrente do surto elétrico para o aterramento interno. Assim, os equipamentos não recebam uma tensão excessiva, acima do que suportam, e têm menos chances de queimarem.

As classes em que ele é dividido são:

  • I: o trabalho do DPS dessa classe é proteger contra descargas atmosféricas que venham a acontecer diretamente na edificação, na rede de distribuição da concessionária ou no aterramento;
  • II: o DPS deve ser instalado nos quadros de distribuição, de modo a trabalhar na proteção dos circuitos contra as tensões residuais do DPS classe I e aquelas induzidas pela própria instalação;
  • III: o DPS protege os equipamentos eletrônicos das tensões que surgem pela própria instalação à qual eles estão ligados.

Importância do DPS na luminária LED

As luminárias LED ganharam muito espaço nos projetos de iluminação por conta da longa vida útil que apresentam e, também, pela eficiência energética. Elas trazem grandes economias ao gasto de energia e à conta de luz.

Porém, esse tipo de iluminação acaba sendo mais sensível aos surtos de energia. Portanto, a troca das luminárias de LED é mais cara do que a de convencionais.

É nesse ponto que entram os protetores de surto: eles vão trabalhar para que as luminárias de LED operem de forma mais segura e eficiente por muito tempo. Recomenda-se que o DPS seja utilizado em todos os tipos de iluminação LED, seja exterior, interior, na iluminação pública e até em objetos.

[rock-convert-cta id=”7326″]

Atuação do DPS diante de descargas atmosféricas

O surto provocado por raios tem uma intensidade muito alta e pode danificar inteiramente um sistema de instalação de energia. Porém, o DPS consegue suportar altíssimas correntes, inclusive as provocadas por descargas atmosféricas. Ao detectar o pique de energia, o dispositivo vai desviar toda a corrente de energia para o sistema de aterramento da instalação.

Tipos de DPS existentes no mercado

Com relação ao funcionamento, os dispositivos são divididos em classes, como já foi dito. Porém, separamos os tipos existentes no mercado que atendem às três classes são. Acompanhe!

Dispositivo de comutação ou encaixe

Esse tipo de DPS tem sua função principal no centelhador, uma peça com dois eletrodos separados por certa distância que, ao identificar o surto, cria um arco entre eles. Esse dispositivo é bastante confiável, pois suporta correntes de descarga elevadas e tem isolamento galvânico.

Dispositivo de limitação

Nesse caso, a função principal se encontra em varistores de cimento e nas partículas de óxido de zinco. Tais estruturas são atravessadas por uma corrente de fuga, que as mantêm nos bornes enquanto absorve o surto de tensão.

Dispositivo combinado

Trata-se de apenas uma combinação entre os dois dispositivos citados, que pode ocorrer por ligação em série ou em paralelo. Na primeira, prevalece o isolamento galvânico e não há corrente subsequente. Já na ligação em paralelo, o tempo de intervenção é muito curto e exato, altas correntes são suportadas e o nível de proteção up é baixo.

Características de uma instalação bem-feita

Quando não é feita corretamente, a instalação pode comprometer a utilidade do DPS. Sendo assim, para que o protetor de surto tenha funcionalidade, é de extrema importância que tudo seja cuidadosamente providenciado. Verifique se o equipamento que será protegido contra o surto está ligado à barra equipotencial em que o DPS também está conectado.

Fique atento ao comprimento dos cabos que saem do DPS e vão para ele, uma vez que não podem superar 50 cm. Por fim, para que sua instalação seja bem-feita, vale insistir que as normas vigentes para a execução desses projetos sejam obedecidas — principalmente a NBR 5410.

Agora você já sabe a importância de um dispositivo de proteção contra surtos elétricos, certo? Ficou claro que, para evitar que qualquer aparelho eletroeletrônico seja danificado, basta instalar esse equipamento, mantendo todo o seu sistema de instalações de energia bem protegido.

Gostou de aprender um pouco mais sobre o protetor de surto? Quer acessar outros conteúdos como este? Então, siga a gente nas redes sociais (FacebookLinkedIn e Twitter) e continue nos acompanhando!

[rock-convert-pdf id=”6662″]